Vasco conquista o tricampeonato brasileiro de Beach Soccer no Parque Olímpico da Barra

Torneio foi realizado na estrutura que recebeu os Jogos Rio 2016. Equipe carioca superou o Sampaio Corrêa (MA) nos pênaltis.

No detalhe, de virada e no último lance. Assim pode ser resumida a conquista do Campeonato Brasileiro de Beach Soccer 2020 pelo Vasco da Gama (RJ), em torneio realizado na estrutura montadaao lado do Estádio Olímpico de Tênis, no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro. Jordan marcou o último gol na disputa dos pênaltis, após o empate em 1 x 1 no tempo normal e outro 1 x 1 na prorrogação contra o Sampaio Corrêa, do Maranhão.

A medalha de bronze ficou com a equipe do Anchieta (ES), que superou o Flamengo por 6 x 5 na partida realizada antes da final. O torneio foi realizado sob autorização do Escritório de Governança do Legado Olímpico (EGLO), entidade ligada ao Ministério da Cidadania e responsável pela gestão das Arenas Cariocas 1 e 2, pelo Velódromo e pelo Estádio Nacional de tênis, no Parque Olímpico da Barra. A organização do evento adotou uma série de medidas sanitárias e de distanciamento social em função da pandemia do novo coronavírus.

Em campo, a partida final começou de forma inédita. Pela primeira vez na competição, um período inicial terminou 0 x 0, mostrando como as duas equipes se respeitavam. O equilíbrio seguiu na segunda parte, com os dois times fazendo de tudo para evitar erros. O gol único no segundo dos três tempos saiu dos pés do craque do campeonato, o camisa 10 maranhense Datinha, ídolo da seleção brasileira. Ele marcou de falta: 1 x 0.

Na volta para o último período, o Vasco encontrou o empate por meio de uma ação que começou com o goleiro Rafa Padilha. Ele acertou um belo chute e o goleiro Bobô espalmou. O experiente Rafinha se colocou na frente do goleiro adversário e nem viu a bola bater em suas costas e morrer no fundo da rede.

Nos três minutos de prorrogação, novo empate registrado. Nos primeiros segundos, Luquinha marcou de falta para o Vasco, mas Datinha, nos minutos finais, também fez de falta e deixou tudo igual. Nos pênaltis, nas primeiras três cobranças, empate em 2 x 2. Nas cobranças alternadas, Rafa Padilha pegou a cobrança de Edinho. O defensor Jordan cobrou a penalidade deu o tricampeonato ao Vasco, que também foi campeão em 2017 e 2019.

Resumo da competição

1ª RODADA (quarta, 18.11)
Anchieta-ES 7 x 3 América-RN (Grupo C)
Sampaio Corrêa-MA 8 x 3 Luziânia-DF (Grupo D)
Vasco da Gama-RJ 7 x 4 Confiança-SE (Grupo C)
Flamengo-RJ 5 x 2 Murici-AL (Grupo D)

2ª RODADA (quinta, 19.11)
Sampaio Corrêa-MA 6 x 3 Murici-AL (Grupo D)
Confiança-SE 2 x 8 Anchieta-ES (Grupo C)
Flamengo-RJ 11 x 4 Luziânia-DF (Grupo D)
Vasco da Gama-RJ 10 x 2 América-RN (Grupo C)

3ª RODADA (sexta, 20.11)
América-RN 4 x 2 Confiança-SE (Grupo C)
Murici-AL 2 x 4 Luziânia-DF (Grupo D)
Flamengo-RJ 2 x 5 Sampaio Corrêa-MA (Grupo D)
Vasco da Gama-RJ 5 x 4 Anchieta-ES (Grupo C)

SEMIFINAIS (sábado, 21.11)
Vasco da Gama-RJ 7 x 6 Flamengo-RJ
Sampaio Corrêa-MA 8 x 6 Anchieta-ES

DISPUTA DO 3º LUGAR (domingo, 22.11)
Flamengo-RJ 5 x 6 Anchieta-ES

FINAL (domingo, 22.11)
Vasco da Gama-RJ 2 (3) x (2) 2 Sampaio Corrêa-MA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *