Santos negocia venda de Lucas Veríssimo ao Benfica

O Santos negocia a venda de Lucas Veríssimo ao Benfica por 6 milhões de euros (R$ 39,8 milhões de reais na cotação atual). No entanto, as condições de pagamento travam o acordo até o momento.

A diretoria santista está satisfeita com a quantia proposta pelos portugueses, mas gostaria de receber o recurso a vista, enquanto o estafe dos Encarnados sugere a quitação entre cinco e seis parcelas.

Caso a negociação avance e a equipe lusitana aceite se enquadrar no pedido dos santistas, a maior parte do valor levantado será transferido imediatamente ao Hamburgo (ALE), na busca por um acordo com os alemães para derrubar a ação que está na Fifa desde março e impede o Santos de registrar novos atletas. Em 2017, o Peixe contratou o zagueiro Cléber Reis e nunca pagou a equipe germânica. Hoje, com juros e multa, a dívida se encontra em 4,5 milhões de euros (correspondente a R$ 29,8 mi).

Além disso, o Peixe é alvo de uma ação do Huachipato (CHI) pelo não pagameto pelo atacante Soteldo, contratado no início do ano passado por 3,4 milhões de dólares (R$ 19,1 no câmbio do dia). Com isso, o Alvinegro tem até o dia 13 de outubro para pagar as pendências que possui com essas gremiações – ou pelo menos parte delas, para tentar algum acordo de renegociação e consequentemente retiradas das ações. Essas dívidas podem culminar até na perda e pontos do Alvinegro no Brasileirão.

Somado a Hamburgo (ALE) e Huachipato (CHI), o Santos também tem uma pendência com o Atlético Nacional (COL), pelo não pagamento de duas parcelas da compra do zagueiro Felipe Aguilar, vendido em março para o Atlético-PR por R$ 10 milhões (o Santos permanece com 50% dos direitos do jogador). No total, a dívida do Peixe com outros clubes gira em torno de R$ 52 milhões.

POSSÍVEL PERDA DE VERÍSSIMO

Internamente, a saída de Veríssimo é vista como uma perda muito grande, principalmente por parte da comissão técnica. Contudo, a diretoria santista não tem previsão de receitas para saldar as pendências e não vê outra alternativa a não ser negociar o jogador.

Para o martelo ser batido, a maioria dos integrantes do Comitê Gestor precisam assinar favoravelmente a venda e encaminhar a situação para a aprovação do Conselho Deliberativo, condição prevista no Estatuto Social santista, já que a dois meses ocorrerá a eleição que definirá o presidente do clube nos próximos três anos.

Fonte: https://www.lance.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *