Radares reduzem em 31% os números de acidentes em Imperatriz

Dados comparativos são de 2019 e 2021 –

Fiscalização de velocidade diminuiu a letalidade, apesar da frota de veículos ter triplicado em Imperatriz. (Foto: Gil Carvalho)

Os acidentes de trânsito tiveram uma redução de 35%, após a implementação dos radares eletrônicos de velocidade em Imperatriz. Dados são da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Setran), com comparativos entre os anos de 2019 e 2021.

O relatório destaca que em 2019 ocorreram 1.879 acidentes, com 2.486 vítimas. Já em 2021 foram 1.288 acidentes, com 1.578 vítimas, tendo uma redução de 31% no número de acidentes e 37% no número de vítimas.

O secretário Leandro Braga destaca que após instalação dos radares o número de acidentes (sinistros), diminuíram consideravelmente no perímetro urbano de Imperatriz, isso devido às ações de modernização, campanhas educativas e câmeras de videomonitoramento.

“Infelizmente a maioria dos acidentes ainda ocorre por conta de motoristas que não praticam a direção defensiva, ou seja, andam em alta velocidade, ingerem bebida alcoólica e vão dirigir, não param nas faixas de pedestre, e não menos importante, usam o celular enquanto estão dirigindo. Diante disso, os radares somam como mais uma forma inibir esses acidentes, conscientizando os condutores a andarem conforme a velocidade permitida em cada local”, afirma Leandro.

Além disso, ele explica que todos os radares instalados em Imperatriz foram escolhidos com base em estudos técnicos de um engenheiro de trânsito, segundo os índices de acidentes nos pontos mapeados, o que permite um estudo minucioso, manutenção e avaliação dos dados coletados, que vão desde o comportamento dos condutores, até a redução dos acidentes.

A implantação dos radares ocorreu em 2019, e atualmente conta com 46 equipamentos em operação em diversos pontos da cidade como, Bacuri, Avenida Babaçulândia, Bernardo Sayão, Santa Tereza, Industrial, Getúlio Vargas, entres outras localidades, com expectativa que mais nove comecem a funcionar brevemente, com a ligação das energias.

 

ASCOM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.