Por uma categoria mais unida

Que tristeza ter que assistir colegas da imprensa se atacarem, se menosprezarem, jogando carapuças ao ar com suas próprias cabeças em situação de alvo.

Em todos os ramos e esferas profissionais, seja público ou privada, existem as conveniências que sempre nortearam a humanidade em seus acordos, mesmo sendo pós acórdãos. Existem também afinidades. Sim, porque não? Será se buscando e rebuscando em nossas consciências não encontraremos afinidades que independem de salários, gratificações ou até mesmo (no caso de alguns) as famigeradas propinas? Certamente encontraremos.

Vale lembrar que em todas as profissões existem os “tampas”, mas também existem os “tapados”. Na Índia a sociedade divide-se em castas, mas graças a Deus, aqui é o Brasil. Devemos saber conviver com raças, gêneros, cores, pontos de vistas, enfim… com graduação intelectual também. Nada justifica essa “guerra” instaurada nessa ou em qualquer categoria por “espaço ou reconhecimento”. O poder é cíclico, os cargos e suas promoções também.

Ao entendermos essa ciranda, avançamos mais na certeza de que tudo passa ou obrigatoriamente se renova.

As coisas devem fluir naturalmente, uma hora o resultado do trabalho acaba chegando, sem necessariamente ter que sacrificar colegas pra isso.

O quarto poder precisa se alto-respeitar, do contrário não será poder algum.

  • Imperatriz tem uma Impresa, digamos;”eclética”. Uns com conhecimento acadêmico, outros de vivência, outros de percepção factual, outros de reprodução, enfim… O mercado contrata quem melhor se identifica com suas necessidades ou suas conveniências. Qual o problema nisso?

Desejo mais compreensão entre os colegas, mais respeito e harmonia. Certamente todos representam uma família, uma família que na maioria das vezes dependem dos senhores (as), então considerando que nenhuma família é mais importante que a outra e todas precisam sobreviver, especialmente em tempos de pandemia, clamo aos colegas que se respeitem mais. Estamos na chamada época da quaresma, mais especificamente na semana Santa. época de reflexão, de “partilhar o Pão”, partilhar que originaliza-se do verbo compartilhar. Fiquemos na paz irmãos, prontos para ajudar o colega a partir do respeito. Um abraço fraterno e ótima Páscoa a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *