Imperatriz contará com Centro Especializado de Reabilitação

A Prefeitura de Imperatriz escolheu esta semana o terreno para construção do Centro Especializado de Reabilitação, CER tipo IV, que vai oferecer serviços de habilitação e reabilitação à pessoa com deficiência intelectual, física, auditiva, visual e múltiplas deficiências.

A secretária de Saúde Mariana Jales visitou o local onde será construído o Centro, acompanhada da Secretária Adjunta Doralina Marques e do Engenheiro Dionatas de Oliveira.

O recurso para construção do CER está garantido e aprovado no Ministério da Saúde. O projeto arquitetônico já está sendo projetado pela equipe de Engenharia da Semus, logo que estiver pronto e aprovado junto a Vigilância Sanitária Estadual, será iniciada a obra.

O Centro funcionará de forma ambulatorial. “Disponibilizaremos profissionais altamente capacitados, técnicas inovadoras e equipamentos modernos para diagnóstico, avaliação, orientação, estimulação precoce e atendimento especializado em reabilitação, concessão, adaptação e manutenção de tecnologia assistiva. É um grande avanço, pois teremos um Centro que se tornará referência e beneficiará milhares de pessoas de Imperatriz e região”, explicou Mariana.

De acordo com o projeto técnico, o CER disponibilizará atendimento individual, em grupo e acompanhamento às famílias, com abordagem transdisciplinar. Irá contar com profissionais das especialidades: Neurologia, Psiquiatria, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Clínica Médica, Enfermagem, Fonoaudiologia, Psicologia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Assistência Social, Nutrição e Pedagogia, entre outras.

Segundo a secretária Adjunta de Saúde, todo o atendimento será de forma articulada e interligada com a rede assistencial de Saúde do município e região. “No Centro, os pacientes serão submetidos a uma avaliação multiprofissional, alicerçada nos conceitos da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde – CIF e nos conhecimentos específicos dos diferentes profissionais da equipe”, ressaltou Doralina.

Sobre o tratamento, ela Doralinda ainda relatou que após avaliação do paciente, será elaborado o Projeto Terapêutico Singular (PTS), que contém estratégias de ações para habilitação e reabilitação, estabelecidas a partir das necessidades singulares de cada indivíduo, considerando fatores clínicos, emocionais, ambientais e sociais, bem como o impacto da deficiência sobre sua funcionalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *