Fundação Culrural de Imperatriz, um trabalho contínuo e indispensável

Trata-se de ações indispensáveis para a solidez do desenvolvimento de qualquer sociedade.

Na íntegra o texto original enviado pelo amigo @samukaitz. Vale a deferência e reprodução.

Estiveram presentes na manhã dessa quinta-feira, dia 18, em horários diferentes, artesões que foram contemplados no EDITAL DE PRÊMIO MARIA LÚBIA FLOR DE ARTESANATO Nº 006/2020 – FCI/FUMIC, fruto da Lei Aldir Blanc do Governo Federal, repassando as devidas contrapartidas: Gardênia da Costa Silva (esculturas trabalhadas em papel e canudos, com figuras regionais), Ilton Vasconcelos dos Santos (porta lápis de babaçu), Janete de Almeida Azevedo (casinhas de sapê e chaveiros em sementes) e Tereza Lima Gonçalves (cobre jarras e copos em organdi e pedraria).

As peças compõe o acervo da FCI e farão parte de exposições itinerantes em projetos desenvolvidos por essa casa de cultura.

Com Informações de @samukaitz

 

Esse espaço estará  reservado para divulgações de ações culturais de Imperatriz e região.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *