Estudantes da UEMASUL participam de Encontro de Física do ITA e trabalho é premiado

Estudantes da UEMASUL participam de Encontro de Física do ITA e trabalho é premiado

A pesquisa desenvolvida pela acadêmica conquistou o 3º lugar em melhor trabalho de graduação.

As acadêmicas Ana Beatriz Monteiro dos Santos e Liliana Souza do Carmo, foram selecionadas e participaram, no início do mês de julho, do XV Encontro de Física do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (EFITA). As estudantes apresentaram seus respectivos trabalhos de pesquisa, desenvolvidos na UEMASUL, sob orientação da professora Gisele Bosso de Freitas. A premiação veio da pesquisa The determination of 4-qubit state with a quantum search algorithm (A determinação do estado de 4 qubits com um algoritmo de busca quântica), desenvolvida por Liliana Souza.

O estudo premiado é um projeto de iniciação científica que teve início em 2018, tendo seus objetivos e informações iniciais apresentados no XIII Encontro de Física do Instituto Tecnológico de Aeronáutica, no ano de 2019. Já nesta edição do encontro, em 2022, foram apresentados os resultados do trabalho de pesquisa.

“Tínhamos trabalhos de diversas instituições participando, até do próprio ITA, então, ter a oportunidade de apresentar o trabalho com os resultados e ter ficado em terceiro lugar foi algo muito legal, a gente ficou muito feliz. Nosso trabalho foi reconhecido a ponto de ser considerado o terceiro melhor trabalho do nível de graduação”, celebrou a pesquisadora Liliana Souza, que participou do encontro pela segunda vez.

A professora orientadora dos trabalhos destaca que apesar de ser minoria no curso de Física da UEMASUL, as meninas estão divulgando o nome do curso com excelência no cenário nacional. “A premiação representa o reconhecimento da qualidade das pesquisas em computação quântica que desenvolvemos na UEMASUL, apesar de estarmos distantes dos grandes centros. Além disso, gratifica todo o desempenho de uma discente que, para se manter no curso, em alguns momentos, precisou dividir sua atenção entre os estudos e o trabalho, o que representa basicamente a situação da mulher no Brasil: ter que desempenhar jornada dupla, dividindo-se entre o trabalho de cuidar da casa e da família (não remunerado) e o trabalho remunerado” disse a professora Gisele Bosso.

O evento aconteceu de forma presencial, com vagas limitadas a 40 participantes para estudantes de graduação ou pós-graduação. Os interessados em participar do evento realizaram a inscrição e foram selecionados por uma equipe avaliadora do ITA. Durante o evento os participantes puderam assistir palestras que envolviam pesquisas de destaque em diversas áreas, participar de minicursos de ferramentas experimentais e teóricas de física, além de visitar laboratórios do ITA.

A acadêmica Ana Beatriz Monteiro teve seu trabalho “Construção e comparação de modelos de microscópios de baixo custo para o ensino de Óptica” selecionado para apresentação na categoria de Ensino de Física, o que garantiu a sua primeira participação no Encontro de Física do ITA, que foi também o primeiro evento científico em outra universidade de forma presencial. “Foi ótimo conhecer e trocar experiências com os alunos de graduação, pós-graduação e com os professores da instituição. Além disso, ter contato com os programas de pós-graduação do ITA, me deu perspectiva para continuar no meio acadêmico”, concluiu Ana Beatriz.

Pesquisas

O trabalho The determination of 4-qubit state with a quantum search algorithm demonstrou o desempenho do Algoritmo de Grover e como mitigar os ruídos presentes nos resultados de um computador quântico. Assim, foi demonstrado a determinação de um estado utilizando computadores quânticos da IBM com diferentes qubits e a diminuição dos ruídos nos resultados obtidos, chegando a conclusão que os computadores quânticos podem desenvolver de maneira mais eficiente a busca de elementos em um certo banco de dados com itens desordenados, do que um computador usual.

O trabalho Construção e comparação de modelos de microscópios de baixo custo para o ensino de Óptica consistiu em construir e demonstrar a capacidade de opções alternativas de microscópios com baixo custo financeiro, voltados ao ensino de física. O trabalho obteve modelos de microscópios com capacidade de visualizar detalhes imperceptíveis a olho nu, e concluiu que a construção de microscópios no ensino básico é um projeto interdisciplinar, uma vez que agrega as disciplinas de Física, Artes e Biologia, envolvidas nas etapas de construção, decoração e utilização do equipamento, respectivamente.

 

FONTE: ASCOM UEMASUL

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.