Com sobra de vagas nas escolas novas, Educação dispensa 12 aluguéis

Escolas novas e reformadas contam com climatização, energia solar, laboratórios de ciências, informática e robótica, blindex, mobiliário todo novo, brinquedotecas, áreas de lazer, banheiros, refeitórios e algumas até com quadras poliesportivas cobertas. (Foto: Edmara Silva)

Escolas alugadas Alunos  Escola Nova Vagas   Distância
Caminho do Saber 592 Fernanda Branco 760 600m
Pequeno Príncipe 260 Pedro Abreu 650 260m
Raimundo Aguiar 343 Pedro Abreu 1.000m
Josefa Fialho 84  Vital Brasil 126 1.000m
Renato Cortez Moreira 175  Costa e Silva 630 500 m
Creche Gonçalves Dias 172 Escola Gonçalves Dias 411 500m
Machado de Assis II 341 Machado de Assis I 853 450m
Mundo do Saber 252 Machado de Assis I 1.200m
Menino Jesus de Praga 260 Machado de Assis I 350m
Bom Pastor 320 Eliza Nunes 1.200 320m
Samaritana 244 Eliza Nunes 244m
Sinopse 403 Eliza Nunes 550m

  3446                                   4630

Ainda sobram 1.184 vagas

 

Além de ter praticamente “zerado” a conta de luz a partir da instalação de um sistema exclusivo de energia solar, a Prefeitura de Imperatriz, através da Secretaria Municipal de Educação, começa a enxugar gastos de décadas com o aluguel de escolas particulares, as chamadas “conveniadas”, que abrigavam alunos em setores da cidade onde havia carência de vagas na rede municipal.

As novas escolas construídas e as antigas reformadas, modernizadas e ampliadas, agora contemplam a todos, com conforto, segurança, tecnologia e sustentabilidade.

Dentre escolas novas e reconstruídas, são 50 estabelecimentos próprios da Prefeitura contemplados com os recursos do FUNDEF, que estavam há décadas retidos no Ministério da Educação. Agora elas contam com climatização, energia solar, laboratórios de ciências, informática e robótica, blindex, mobiliário todo novo, brinquedotecas, áreas de lazer, banheiros, refeitórios e algumas até com quadras poliesportivas cobertas.

O prefeito Assis Ramos determinou que se revolucionasse a rede municipal de ensino, transformando-a na melhor e em nível igual ou até superior das melhores escolas particulares.

No meio de tudo isso estão as “conveniadas”, que não podem ser reformadas pela prefeitura, porque são propriedades particulares. “Elas foram úteis por muitos anos, somos gratos, mas dentro da nova circunstância somos obrigados a não renovar mais esses contratos” – disse, ontem, o secretário da Educação, José Antônio Pereira.

Nessa condição, dispondo de vagas e mesmo assim gastar com aluguéis, seria uma situação de improbidade. A economia anual, de cerca de R$ 5 milhões, em vinte anos representa todo o investimento de R$ 100 milhões que está sendo feito na construção das novas escolas e creches e reformas das antigas.

Pereira informou ao prefeito Assis Ramos, que já é possível assegurar que não teremos duas categorias de alunos na rede municipal; os das novas unidades (confortáveis, seguras e tecnológicas) e os das “conveniadas”, que não tinham como ser reformadas com recursos públicos.

As mudanças de alunos das “conveniadas” para as novas começam a ser efetivadas, sem qualquer desconforto, vez que há sempre uma unidade própria da Prefeitura nas imediações das que eram “conveniadas”, média de distância de uns 500 metros. “Ainda assim, nos casos que fogem dessa regra, teremos o apoio do transporte escolar” – informou o secretário.

Escolas inicialmente “desconveniadas”, em número de doze, abrigavam 3.446 alunos, que agora irão para as novas que dispõem de 4.630 vagas, ainda com uma sobra de 1.184 vagas. Os pais que quiserem reivindicar realocação para outra escola podem discutir o assunto com a Secretaria de Educação.

Com a conta de luz a Prefeitura já economiza mais de R$ 1,5 milhão por ano; com a dispensa dos 12 aluguéis (mais mão-de-obra, material de limpeza, vigias, porteiros e energia elétrica), outra poupança de mais R$ 5 milhões anuais. Somando, sobram recursos para mais 3 escolas novas a cada 12 meses.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *